O futuro do trabalho e o novo normal!

O futuro do trabalho e o novo normal!

Em alguns casos é possível um eterno home office já em outros o novo normal surge com muitas mudanças.

Muitos se é falado sobre as mudanças de âmbito sociais causadas pela pandemia do novo coronavírus, e muito se é questionado sobre o futuro do trabalho para o período pós-pandêmico. O que podemos esperar é que ele vem repleto de alterações comportamentais, como práticas de higienização mais rígidas, além da valorização dos espaços pessoais, dentre outras questões. Apesar dessas mudanças parecerem coisas simples, elas podem causar um certo impacto no ambiente de trabalho.

E se o home office se tornar o novo normal?

Para algumas empresas isso já é uma realidade, e para outras como é o caso do Twitter isso se tornou o novo normal, porém, essa regra não será apenas para o período pandêmico. O CEO da rede social Jack Dorsey anunciou em um e-mail para os funcionários que parte das atividades da empresa serão feitas em home office permanentemente, alguns membros precisarão comparecer à sede para realizar tarefas que só se resolvem de forma presencial, mas isso não será uma obrigatoriedade.

A visão da empresa para chegar a essa decisão foi de que essa modalidade de trabalho garante a saúde e gera bem-estar ao funcionário. Assim como o Twitter, muitas empresas adotaram essa postura, no entanto, podem continuar com esse modelo de trabalho após esse período que estamos vivendo. Visando que seus funcionários podem ser muito mais produtivos quando não passam por uma rotina estressante de trânsito e conseguem passar mais tempo perto de seus familiares.

Más e as reuniões de equipe? Como serão demandadas certas tarefas? Como fica a vida do profissional que não se adaptou ao Home Office?

Muitas empresas estão usando a tecnologia a seu favor, atualmente temos inúmeras plataformas de reuniões “online” e gestão de tarefas o que é muito bom, porém, mesmo com todos esses recursos podem haver ruídos na comunicação e na gestão de uma equipe. O que fará com que algumas organizações busquem por espaços de coworking para se reunirem com seus colaboradores. A busca por esses locais se estende às empresas que infelizmente perderam suas sedes nesse período, pois, manter certos custos como aluguel e outras despesas fixas é algo difícil.

Além dessas empresas, profissionais que não conseguiram se adaptar e desenvolver uma certa paixão pelo home office tendem a buscar pelos coworkings como meio de escape. Esses profissionais em sua maioria, precisam de um ambiente mais tranquilo para serem produtivos, se organizarem, concluírem suas demandas, além da necessidade de espaço para se reunirem com clientes e etc. O home office possui suas vantagens, mas sabemos que nem sempre essa modalidade é possível ou compatível para todos.

Um ponto importante a ser ressaltado é que de certa forma os coworkings já estavam ali enquadrados no que esperamos para o futuro do trabalho, por se tratarem de um novo formato de escritório, que foge do modelo de escritórios tradicionais que todos conhecemos. Esses espaços oferecem aos profissionais ou empresas ali inseridas possibilidades de empreender com custos reduzidos e assim alavancar negócios.

O que podemos extrair de tudo isso que estamos vivenciando, é que de certa forma a pandemia acelerou o processo e a adaptação desse novo formato de trabalho que tanto resistimos em aderir e em meio a tudo isso os espaços de coworking também estão entrando numa nova fase.

Como serão esses espaços daqui em diante?

Considerando que o distanciamento físico possa se tornar uma regra por um tempo, mesmo em um período pós-pandêmico ao pensarmos no futuro do trabalho iremos nos deparar com novas práticas e como falamos anteriormente as pessoas também irão se importar muito mais com os espaços pessoais.

Por isso espaços como coworkings ou até mesmo as sedes das empresas terão de se adaptar a essa nova realidade e funcionar de acordo com as recomendações das organizações de saúde. Muitas comunidades e empresas já estão se adequando a essa nova realidade que consiste em;

  • Melhores práticas de higienização dos espaços.
  • Pontos de higienização para os visitantes.
  • Distanciamento adequado entre as estações de trabalho.
  • Medição da temperatura como precaução.
  • Se possível dando preferência para espaços de ventilados.

Dentre outras medidas cabíveis com base em cada espaço.

Um fato é que o mercado de trabalho e os espaços corporativos já estavam vivendo uma renovação, mas agora isso está mais evidente. É um momento interessante para pessoas buscarem capacitação e se reinventarem, é um momento propício para se autoconhecer desenvolver certas capacidades e habilidades, pois, assim como as organizações as pessoas também terão de se adaptar a esse novo normal.

Aos poucos iremos retomar as nossas atividades, contudo, podemos perceber que crises aceleram processos na sociedade como um todo, e tudo que antes era tido como “normal” ganhou uma nova condição, estamos passando por diversas mudanças principalmente comportamentais e todos teremos de estar preparados para o novo.

Deixe um comentário

Top
×